Quantos de nós não temos, por mais ligeiro que seja, aquele preconceito de tudo o que vemos feito na china tem de ser mau? É de facto um dado adquirido que quando se comparam as origens de artigos, em especial de facas e canivetes, locais como Estados Unidos, Japão, Itália e França soam sempre bem melhor que Taiwan ou China.

Acontece que nos dias que correm mesmo as grandes companhias como a Leatherman ou a Spyderco já se renderam às evidências da mão de obra barata e baseiam o fabrico em sub-contratação a países estrangeiros. Mas será que isso teve algum impacto na qualidade dos seus artigos: nem pensar.

O artigo é o mesmo, o processo de fabrico é o mesmo e o aço é o mesmo – o funcionário é que tem os “olhos em bico”, passo a expressão. Assim sendo, é cada vez mais comum encontrar o mesmo artigo fabricado em sítios diferentes ao longo do tempo – faz parte da estratégia económica da empresa.

Pessoalmente não me incomoda nada pois sei que CRKT ou a Spyderco têm um rigoroso controlo de qualidade e uma elevada fama em canivetes resistentes, duráveis e funcionais. E face aos acessíveis preços que hoje em dia se praticam, a origem do artigo é, no mínimo, secundária.